Em julho de 2010 a ESTEIO executou o Levantamento Topobatimétrico para a Galvão Óleo & Gás Participações em corpos hídricos em área do município de Campos de Goytacazes, no Estado do Rio de Janeiro, para auxiliar no processo de orçamentação e análise de risco, necessários à implantação de um estaleiro.

O levantamento batimétrico foi realizado em trecho do Canal das Flechas, com aproximadamente 2 km de extensão. Em seguida foi realizado o levantamento topográfico em trecho do Rio Iguaçu e outros canais de drenagem de interesse.

Base

Como base de referência foi implantado um ponto próximo ao Canal das Flechas e transportadas as coordenadas planimétricas para esse ponto, a partir dos vértices SAT-91958 e SAT-91959, ambos de primeira ordem, implantados pelo IBGE.

O transporte da altitude foi por nivelamento geométrico, ajustado em duas Referências de Nível, também do IBGE: RN-2837B e RN-2837C.

Levantamento

Na execução do levantamento batimétrico no Canal das Flechas foi utilizado o ecobatímetro digital que emite ondas ultra-sônicas para a determinação de medidas de profundidades compreendidas entre 0,50 a 120 metros, com resolução de 0,1m. Este equipamento possibilita a entrada de dados relativos à velocidade de propagação do som na água e da profundidade do transdutor (sonda que emite e recebe o som, pelo qual a profundidade é determinada). Para o posicionamento planimétrico (bidimensional) da embarcação foram utilizados receptores GPS de dupla frequência, recebendo correções diferenciais (DGPS).

Variação do Nível D’água

Para controle da variação do NA durante o levantamento foram instaladas (três) réguas limnimétricas, sendo uma próxima à foz do canal, outra na metade do trecho e uma terceira no ponto inicial do trecho de interesse. Ao longo dos canais de drenagem e do Rio Iguaçu foi utilizado o método topográfico através de RTK (Real Time Kinematic) ou tempo real, com um receptor instalado na Base e outro percorrendo os pontos a serem levantados, recebendo correção de coordenadas em tempo real através de link de rádio.

Registro e Tratamento dos Dados Batimétricos

Os dados batimétricos levantados foram registrados graficamente e de forma digital, tendo como dados de entrada os relativos à velocidade de propagação do som na água e da profundidade do transdutor. A frequência de operação do ecobatímetro, assim como a velocidade empregada na navegação, permitiu coletar em média 5 pontos por segundo, 20 a 30 centímetros percorridos na seção.

Em seguida, todos os dados coletados passaram pela etapa de edição, com a utilização de módulo específico que possibilita visualizar o comportamento da embarcação durante o levantamento de cada seção e também o traçado do perfil da seção para identificar eventuais discrepâncias ocorridas durante o levantamento, subsidiando a tomada de decisão quanto à necessidade de refazer algum trecho da seção.

Resultados

Após o processamento das informações batimétricas foram geradas as curvas batimétricas utilizando aplicativo específico.

Produtos

Os principais produtos deste serviço foram: